Search

Mutilação Estética de Cães e gatos:

Mutilação Estética de Cãese gatos: Um Olhar Sobre uma Prática Controversa

Mutilação Estética de Cães e gatos: Um Olhar Sobre uma Prática Controversa

Introdução

A mutilação estética de cães é um tópico que tem gerado debates acalorados entre os amantes de animais, veterinários e a sociedade em geral. Neste artigo, exploraremos o que essa prática envolve, as diferentes perspectivas sobre o assunto e os impactos que ela pode ter na saúde e bem-estar dos cães. Vamos mergulhar fundo e descobrir se a mutilação estética de cães é algo que devemos continuar tolerando.

O Que É Mutilação Estética de Cães?

A mutilação estética de cães refere-se a procedimentos cirúrgicos realizados em cães com o objetivo de alterar sua aparência física. Isso pode incluir o corte das orelhas, cauda ou mesmo cirurgias plásticas para modificar o rosto do animal. Os procedimentos mais comuns incluem:

1. Otoplastia (Corte das Orelhas)

A otoplastia é um procedimento que tem sido praticado em algumas raças caninas, como o Doberman, Boxer e o Pitbull, com o intuito de modificar a aparência de suas orelhas, tornando-as eretas.

Embora seja considerada uma prática antiga e tradicional em algumas comunidades de criadores, é importante examinar mais de perto os aspectos desse procedimento e seus impactos nos cães.

Otoplastia

2. Caudectomia (Corte da Cauda)

A caudectomia, ou corte da cauda, é um procedimento que gera polêmica no mundo dos cães. Em algumas raças, como o Rottweiler, Doberman, boxer, Pitbul e Cocker Spaniel, é comum realizar essa intervenção cirúrgica para encurtar a cauda por razões estéticas.

No entanto, essa prática levanta questões éticas e de bem-estar animal que merecem nossa atenção mais profunda. Vamos explorar os prós e contras desse procedimento controverso e seu impacto na vida dos nossos fiéis amigos de quatro patas

Caudectomia

3. Rinoplastia (Modificação Facial)

A rinoplastia canina, também conhecida como modificação facial, é um procedimento que visa alterar a aparência do focinho de determinadas raças de cães como, Buldogue Francês, Buldogue Inglês, Shih Tzu e outras .

Esta prática é frequentemente associada a raças como o Buldogue Francês, o Buldogue Inglês e o Shih Tzu, que possuem características faciais específicas que alguns proprietários desejam aprimorar.

Rinoplastia

4. Onicectomia em Gatos:

A onicectomia, também conhecida como declawing, é um procedimento que envolve a remoção cirúrgica das garras de gatos.

Embora este não seja um procedimento específico para fins estéticos, ele é frequentemente realizado por razões de conveniência ou para evitar danos a móveis e arranhaduras indesejadas.

No entanto, a onicectomia é altamente controversa e levanta questões éticas e de bem-estar animal.

Onicectomia em Gatos:

5. Cordectomia

A cordectomia é um procedimento controverso que envolve a remoção das cordas vocais de um cão com o objetivo de eliminar ou reduzir significativamente sua capacidade de latir e vocalizar.

Embora seja considerado um método de controle do comportamento vocal canino, a cordectomia é altamente controversa e levanta sérias preocupações éticas e de bem-estar animal.

cao5

 

As Perspectivas Sobre a Mutilação Estética

 

Os Defensores

Alguns argumentam que a mutilação estética é uma tradição antiga que faz parte da criação de certas raças de cães. Eles acreditam que essas práticas preservam a integridade das raças e seus padrões.

Os Críticos

Por outro lado, muitos veterinários e defensores dos direitos dos animais se opõem veementemente à mutilação estética de cães. Eles argumentam que isso causa dor desnecessária aos animais e pode ter efeitos adversos em sua saúde física e mental.

Os Impactos na Saúde dos Cães

A mutilação estética de cães pode ter sérios impactos na saúde e bem-estar dos animais. Alguns desses impactos incluem:

1. Dor e Sofrimento

Um dos impactos mais imediatos e evidentes da mutilação estética em cães é a dor e o sofrimento que esses procedimentos podem causar. Mesmo quando realizados sob anestesia, a recuperação pode ser dolorosa.

A cirurgia envolve a remoção de tecido, a manipulação de ossos e, em alguns casos, a sutura de feridas. Tudo isso pode gerar desconforto e dor que os cães não conseguem expressar de maneira clara.

2. Riscos de Infecção

A cirurgia, por sua própria natureza, aumenta o risco de infecções. As incisões cirúrgicas, por menor que sejam, podem se tornar portas de entrada para bactérias e micro-organismos nocivos.

Isso pode resultar em infecções locais que afetam a área operada, mas também pode se espalhar para outras partes do corpo, tornando-se um problema sério para a saúde do cão.

3. Problemas Comportamentais

A mutilação estética também pode levar ao desenvolvimento de problemas comportamentais em cães. O trauma físico e emocional associado à cirurgia pode causar ansiedade, medo e até mesmo agressividade.

Alguns cães podem passar por mudanças de comportamento significativas após a cirurgia, o que pode ser desafiador para seus proprietários e prejudicial para o bem-estar geral do animal.

A Controvérsia em Torno da Prática

A controvérsia em torno da mutilação estética de cães não mostra sinais de diminuir. Enquanto alguns países proibiram esses procedimentos, outros ainda os permitem.

A decisão de permitir ou proibir essas práticas varia amplamente de acordo com a legislação local.

A proibição no brasil

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV)  proíbe cirurgias mutiladoras com finalidades estéticas em animais domésticos e estabelece normas regulatórias para a realização de cirurgias em animais de produção e silvestres.

Conclusão

A mutilação estética de cães é um assunto complexo e controverso que suscita fortes emoções em todos os lados. É importante considerar o bem-estar dos animais acima de tudo e questionar se a modificação da aparência física de um cão é justificável.

A educação e o diálogo aberto são essenciais para encontrar soluções que respeitem tanto os padrões das raças quanto o direito dos animais à saúde e ao conforto.

 

Mutilação Estética

 

Perguntas Frequentes

1. Quais são as raças mais comumente submetidas à mutilação estética?

As raças como Doberman, Rottweiler e Pitbull são frequentemente submetidas a procedimentos de mutilação estética.

2. A mutilação estética de cães é legal em todos os países?

Não, a legalidade da mutilação estética de cães varia de país para país e, em alguns lugares, essas práticas foram proibidas.

3. Os cães sentem dor durante os procedimentos de mutilação estética?

Sim, os procedimentos cirúrgicos envolvidos podem causar dor aos cães, mesmo com o uso de anestesia.

4. Existem alternativas à mutilação estética para alcançar os padrões de raça desejados?

Sim, muitos defensores dos direitos dos animais argumentam que é possível alcançar os padrões de raça desejados por meio da seleção cuidadosa e da criação responsável, sem a necessidade de cirurgias.

5. O que posso fazer para apoiar o bem-estar dos cães?

Você pode apoiar o bem-estar dos cães promovendo a educação sobre a importância do tratamento humanitário dos animais e apoiando organizações que lutam pelos direitos dos animais.

Fonte

Corte estético de cauda e orelha de animais é crime ambiental

 

Obrigado pela vista, conheça também nossos outros trabalhos

 

https://vettopbr.com/tosse-em-caes/

 

http://abelhando.eco.br

 

http://Leiturinhakids.com

Compartilhe:

Próximo post

Categorias